WEB RÁDIO TROPICAL

WEB RÁDIO TROPICAL
24 HORAS NO AR ( A EMOÇÃO DO VERÃO)

OUÇA EM SEU SMART-FONE

SISTEMA ANDROID: CLICK SISTEMA I-PHONE> CLICK! SISTEMA ITUNES: CLICK SISTEMA BLACKBERRY> CLICK

WEB RADIO TROPICAL

24 HORAS NO AR - SEU VERÃO É MAIS GOSTOSO AQUI!
Carregando ...
COBERTURA TOTAL DO VERÃO 2017 DE SÃO FRANCISCO & REGIÃO! -

sexta-feira, 31 de março de 2017

Três adolescentes são mortos a tiros em Irajá


Os corpos dos rapazes foram deixados na calçadaWhatsApp O DIA
Rio - Três adolescentes foram mortos a tiros, na tarde desta sexta-feira, na Rua Guirareia, na região conhecida como Campo Sangue e Areia, em Irajá, na Zona Norte do Rio. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, militares foram acionados por volta das 14h para uma ocorrência na região. No entanto, quando chegaram aolocal já encontraram os meninos mortos.
MORTA NA ESCOLA EM ACARI

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Militar, o 41º BPM (Irajá) foi acionado para a ocorrência. A PM informou ainda que policiais estão no local aguardando a perícia. A Delegacia de Homicídios (DH) vai assumir o caso. Ainda não há informações sobre a identidade das vítimas ou as circunstâncias do crime.
De acordo com relatos publicados nas redes sociais, os jovens teriam tentado assaltar um carro na região. No entanto, o motorista do veículo reagiu atirando nos garotos. 
Procurada pelo DIA, a Polícia Civil ainda não se pronunciou sobre o crime. 

PMs acusados de execução em Acari são presos


Os PMs disseram ter avançado quando os tiros diminuíram e que, nesse momento, perceberam que havia dois homens caídos ao lado do muro da escola. Segundo o depoimento, os PMs disseram que se aproximaram e viram que cada suspeito estava com uma pistola. Os suspeitos teriam feito gesto de apontar para atirar contra os PMs, que, então, teriam atirado para se defender.
"Havia uma pequena operação na hora do confronto. Os policiais estavam checando informações sobre a criminalidade no local quando começou o confronto. O Inquérito Policial Militar (IPM) vai apurar, paralelo à investigação da Polícia Civil, se houve crime militar", explicou o corregedor da PM, coronel Welster Medeiros.
Batalhão que mais mata
O 41º BPM (Irajá), onde estão lotados os policiais que aparecem no vídeo é a unidade líder de mortes em confronto em todo o estado este ano. Nos primeiros dois meses de 2017, foram 36 mortes em operações policiais (19% do total das mortes do tipo no estado).
Segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP), as mortes em confronto no batalhão dispararam em janeiro e fevereiro: foram 30 a mais do que no mesmo período de 2016.
A Secretaria de Segurança disse que não iria se manifestar sobre os casos de violência desta quinta-feira. Pela manhã motoristas também passaram por momentos de pânico na Linha Amarela durante tiroteio na Maré.

Peritos encontraram quatro ferimentos em Maria Eduarda no local do crime


Rio - Peritos encontraram quatro ferimentos — dois perto da nuca e dois nas nádegas — no corpo da adolescente Maria Eduarda Alves da Conceição, de 13 anos, morta na tarde desta quinta-feira dentro da escola onde estudava em Acari. O laudo da necropsia ainda não está pronto. A declaração de óbito da adolescente aponta "ferimentos transfixantes no encéfalo por projéteis de arma de fogo".
No IML, o pai da menina, o pedreiro Antônio Alfredo da Conceição, de 63 anos, estava muito emocionado. "Meu coração está partido no meio. Você tem uma cria e cria ela na maior dificuldade, trabalhando. Eu sou pedreiro, honesto. E de repente, um indivíduo vem e tira o bem mais precioso que você tem. Qual é o pai que não vai sentir um pedaço sumir dentro dele? Eu criei, trabalhei, mão calejada, trabalhei duro para dar o que podia para minha filha. Ai meia dúzia de PMs, sem preparo nenhum, saem dando tiro para cima e para baixo como se estivessem matando um monte de passarinho. E tiram a vida de uma criança de 13 anos", disse aos prantos o pai da menina.
Pais de Duda, com a blusa que era usava no momento em que foi atingida dentro de escola em Acari e o buraco deixado pela balaRafael Nascimento / Agência O Dia
"Mas tem Deus, aquele lá de cima, que vai confortar a mim e a minha mulher. E a Justiça aqui na Terra tenho certeza que alguém vai olhar por nós. Não quero dinheiro, só quero Justiça. Eles assassinaram minha filha. Quando é bala perdida é uma só, foram três. Três balas atingiram ela. Foi assassinato."
Atleta de basquete, ela colecionava medalhas conquistadas no esporte. Na manhã desta sexta-feira, os pais e o irmão de Duda, como era carinhosamente chamada, estiveram no Instituto Médico Legal para liberar o seu corpo. Os pais da menina carregavam a blusa que ela usava no momento em que foi atingida, onde é visto um enorme buraco provocado pela bala. O enterro da jovem está marcado para a manhã deste sábado no Cemitério Jardim da Saudade de Edson Passos, em Mesquita, na Baixada Fluminense.
Maria Eduarda Alves da Conceição, 13 anos, foi morta a tiros dentro da escola em que estudava, em AcariReprodução Facebook
"Mataram o meu bebê. Ela foi embora. Os policiais mataram ela. Meu Deus, ela tinha apenas 13 anos. O que vai ser da minha vida? Eles acabaram comigo", desabafou a mãe de Maria Eduarda, Rosilene Alves Ferreira, 53 anos. "Treze anos, atleta, estudante, tinha sonhos, e os polícia (sic) acabaram com os sonhos dela", disse a acompanhante de idosos, que trabalhava dentro de um hospital quando recebeu a notícia e passou mal.

Um dos incentivadores da irmã, Uidson Alves Ferreira, de 32 anos, que é professor de artes marciais, estava revoltado.
MORTA DENTRO DA ESCOLA

"Agora não estamos pagando mais só impostos. Estamos pagando com o sangue das nossas crianças", disse. "Ela era atleta amadora e sonhava em se tornar profissional. Ela tinha menos de três anos no esporte e já tem nove medalhas. Ela ganhou uma bolsa para estudar em uma escola de bacana na Barra da Tijuca porque ela era boa no basquete", contou.
Segundo a mãe de Maria Eduarda, não havia operação policial no momento em que a adolescente foi atingida. "Não tinha operação. Estavam dando tiro do outro lado do rio, uma distância de 300 metros, e ela estava no colégio, eles dando tiro para o outro lado da comunidade. Eu quero Justiça, para que não aconteça como outras crianças que precisam estudar, que estudam neste colégio."
O presidente da ONG Rio de Paz, Antônio Carlos Costa, esteve junto com a família de Maria Eduarda no IML. Segundo ele, as mortes de tantas crianças vítimas da violência deveria chocar e mobilizar a toda a sociedade.
A morte de Maria Eduarda não é um caso isolado. Desde 2007, 33 crianças foram vítimas de bala perdida'Antônio Carlos Costa, ONG Rio de Paz
"A morte de Maria Eduarda não é um caso isolado. Desde 2007, 33 crianças foram vítimas de bala perdida, de 2015 para cá 20, só este ano três, entre elas uma filha de policial militar. Em geral essas mortes ocorrem em confronto entre policiais e traficantes em comunidades pobres com famílias que perderam seus parentes queridos completamente desamparados pelo estado. Em qualquer cidade europeia ou americana a sociedade não deixaria passar em branco a morte de uma criança."
De acordo com Costa, as mortes em comunidades carentes não chocam. "Infelizmente vai virar estatística, porque é uma morte em uma região que moram pessoas que para o poder público são invisíveis. São pessoas que gritam e não são ouvidas. Não há mínima dúvida de que 33 mortes de crianças na Zona Sul do Rio teria outro peso. É fato, 80%, 90% das mortes são em comunidades pobres. Porque não nos revoltamos com uma situação dessas?" criticou.
A ONG Rio de Paz fará uma homenagem para Duda, com fotos e rosas, na Lagoa, no mesmo local que o médico foi morto a facadas. Já no final da tarde, depois do enterro, a ONG irá até o colégio e o colocará os nomes de todas as crianças mortas por bala perdida no estado.
Parentes de mortos no IML
Os familiares dos jovens que foram executados enquanto agonizavam no chão baleados em Acari também estiveram no IML para retirar os seus corpos. A mulher e irmã de Alexandre do Santos Albuquerque, 38 anos, que foi o segundo homem a ser atingido no vídeo, disseram não saber de seu envolvimento no crime.
"Eles correram e a PM atirou na perna deles. Antes do meu irmão morrer, ele ficou lá caído e poderia ter sido preso. Não sei se ele era envolvido ou não. Se fosse, teria que ter sido preso e não executado", falou a diarista Alessandra dos Santos, 37 anos, irmã de Alexandre.
"Mesmo se estivesse errado, tinha que ser socorrido, não executar. Não tinham que fazer aquilo com o meu marido", disse aos prantos, a manicure Bruna Maria Silva, de 27 anos, mulher de Alexandre. "Estamos juntos há cinco anos e ele sempre pensava nas crianças. Eu ainda não tive coragem de ver o vídeo. Estava no trabalho, na Pavuna, quando me falaram que ele tinha sido assassinado. Sai correndo e fui pra lá."

Imagens mostram agressão a turista argentino morto na Zona Sul


Rio - As câmeras de segurança da Rua Vinicius de Moraes, em Ipanema, registraram o momento da agressão ao turista argentino Matias Sebastian Carena, 28 anos, morto em uma briga. Nas imagens, é possível ver o momento em que Toddy Cantareira, ex-integrante do grupo Karametade, desfere um soco contra Matias, que cai e bate com a cabeça no chão. Na sequência, outros homens chutam e batem no argentino com uma muleta.
Turista argentino morreu após briga na Zona Sul do Rio; Suspeitos estão foragidosReprodução TV Globo
Ao perceberem que Matias estava ensaguentado e não reagia, os homens se desesperam. Pessoas que passavam no local tentam reanimar o argentino, sem sucesso. O turista chega a ser socorrido por um taxista. O vídeo foi divulgado pelo telejornal Jornal Hoje.
De acordo com a Polícia Civil, o inquérito policial do caso foi entregue nesta quinta-feira ao Ministério Público. Os quatro suspeitos (Júlio César Oliveira, conhecido como Godinho, de 24 anos; Thiago de Noros Lessa Filho, o Kadu, 39 anos; Valterson Ferreira Cantuaria, o Toddy Cantuaria, de 28 anos, e Pedro Henrique Marciano, o PH, de 25 anos) de matarem o turista ainda estão foragidos.
Suspeitos de agredir e matar turista argentino, em Ipanema, são procuradosDivulgação
Nesta sexta, o Portal dos Procurados divulgou que quem tiver informações que levem a prisão dos suspeitos receberá recompensa de R$ 1mil. As denúncias podem ser feitas  através WhatsApp ou Telegram dos Procurados (21) 96802-1650; pelo Facebook (inbox): www.facebook .com/procurados.org/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177 ou pelo aplicativo do DD. Em todos os canais de denúncias, o anonimato é garantido.

Mulher é condenada a sete anos de prisão por sexo grupal com adolescentes


Mãe de três filhos, Amanda já tinha relação com os menores desde o ano passadoReprodução Facebook
Bletchley - Uma mulher de 39 anos admitiu, nesta sexta-feira, que fez sexo com grupo de seis adolescentes menores de 16. Amanda Tompkins, que é casada e tem três filhos, foi condenada a sete anos de prisão.
Em depoimento ao juiz, Tompkins confirmou que todas as 10 acusações feitas pelos meninos estavam corretas. De acordo com o Daily Mail, a mulher usava drogas e alcool para atrair os menores até sua casa em Bletchley, Milton Keynes, na Inglaterra.
As relações entre Amanda e os adolescentes já aconteciam desde o ano passado. Um dos menores tinha 13 anos quando teve relações com a acusada. Uma das vítimas contou que ela enviava fotos nua através do Facebook.
"Ela ficou acariciano os seios, depois ficou de quatro e se insinou na direção dos menores", contou um dos menores sobre as investidas de Amanda a promotora Kim Preston. Nos autos, um dos meninos também explicou que ela os abordava na rua e, que ele e mais dois meninos, receberam sexo oral da anfitriã.

Mulher é morta a golpes de facão em Cachoeiro; marido é suspeito do crime


Uma mulher de 56 anos foi morta a golpes de facão, na tarde desta sexta-feira (31) no bairro Boa Vista, em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado. Um vizinho chegou a acionar a Polícia Militar, mas Maria da Penha Pereira de Almeida Silva já havia sido morta.
De acordo com as primeiras informações da Polícia Militar, o crime aconteceu na Rua Manoel Pereira Martins, por volta das 15h40. Os militares foram acionados por um morador da rua, que ouviu a mulher pedindo por socorro durante uma briga.
Quando a polícia chegou ao local, Maria da Penha estava morta. O suspeito de cometer o crime, o companheiro, foi visto fechando o portão e saindo de casa. O facão foi deixado na casa.
A perícia do Serviço Médico Legal foi acionada. A polícia fez rondas na região, mas até o momento, ninguém foi detido.

Homem é morto a tiros em Cachoeiro de Itapemirim


Um homem de 26 anos foi morto a tiros na noite desta quinta-feira (30), no bairro Boa Vista, em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado. Segundo a Polícia Militar, a vitima, Ozias Borges de Barros, foi alvejada por vários disparos na rua. Até o momento, nenhum suspeito foi detido.
Testemunhas informaram aos militares que ouviram diversos disparos momentos antes de um carro passar pelas ruas em alta velocidade. Ozias Borges foi encontrado por moradores do bairro. Ele chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros com vida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na manhã desta sexta-feira (31) na Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro.
O corpo foi encaminhado ao Serviço Médico Legal de Cachoeiro. A Delegacia de Crimes Contra a Vida investiga o caso. Até o momento, não há informações de suspeitos detidos.

Polícia prende quadrilha com 750 iPhones 6 roubados em Guarapari


Carregamento de iPhones roubados em Guarapari
Carregamento de iPhones roubados em Guarapari
Foto: Divulgação/ Polícia Civil
Oito pessoas foram detidas pela Delegacia Patrimonial de Guarapari, suspeitas de coordenarem um esquema que roubou R$ 2,2 milhões em celulares roubados para financiamento de drogas e compra de armas. Uma carga de 750 iPhones 6 Plus, roubados no último dia 12, foi apreendida.
De acordo com a polícia, os aparelhos haviam sido furtados no último dia 12, dentro de um ônibus na Rodoviária de Guarapari. Junto aos celulares, também foram encontradas três armas de fogo. A mercadoria, segundo o delegado Marcos Nery, seguiria para São Paulo, onde seria vendida para compra de armas e financiamento de drogas.
Mais informações sobre o crime serão divulgadas na manhã desta sexta-feira (31), na Delegacia Patrimonial de Guarapari.

PMs que executaram homens são envolvidos em 37 autos de resistência


Policiais são flagrados atirando em homens caídos na rua, no Rio de Janeiro
Policiais são flagrados atirando em homens caídos na rua, no Rio de Janeiro
Reprodução
RIO. O sargento David Gomes Centeno e o cabo Fábio de Barros Dias, flagrados num vídeo gravado na tarde desta quinta-feira executando dois homens caídos no chão, perto do conjunto habitacional Fazenda Botafogo, em Acari, na Zona Norte do Rio, se envolveram com 37 autos de resistência — mortes de suspeitos durante operações policiais — desde 2011. 
Os dois, juntos, participaram de uma dessas ocorrências. Já as demais mortes ocorreram em ações com outros colegas de farda — Centeno é envolvido em outros dez autos de resistência e, Dias, em 26 ocorrências.
Todas as mortes aconteceram em favelas da Zona Norte. Na maior parte dos casos, os suspeitos foram levados a um hospital e não houve perícia no local. Em todas as ocorrências, os policiais apresentaram armas na delegacia, que disseram estar com o suspeito.
O auto de resistência em que Centeno e Dias participaram juntos ocorreu em 12 de fevereiro de 2016. Os dois faziam parte do grupo de policiais que fez uma incursão na favela Terra Nostra, no Complexo da Pedreira, em Costa Barros. Durante a ação, Alexander Mota Vidal foi morto. Na delegacia, os policiais apresentaram uma pistola, que segundo eles estava com o homem baleado.
CABO JÁ HAVIA SIDO PRESO
O cabo Dias já havia sido preso em flagrante em setembro do ano passado por porte ilegal de arma. A prisão aconteceu durante o cumprimento de mandado de busca e apreensão decretado pela Justiça em sua casa, na Zona Oeste. Dias também já foi acusado de ameaçar um motorista de transporte alternativo, ainda na Zona Oeste.
PUBLICIDADE
Na ocasião, o motorista procurou a Polícia Civil e o Ministério Público para denunciar que Dias era proprietário da van que dirigia e que "em virtude de dívidas contraídas com o referido policial", vinha "sofrendo constantes ameaças de morte". Na ocasião, o motorista fugiu de casa e foi à 43ª DP (Guaratiba) para fazer o registro de ocorrência escoltado.
PMS ESTÃO NO BEP
A cena em que os PMs aparecem atirando nos dois homens começou a circular no WhatsApp na tarde desta quinta-feira. A Corregedoria da Polícia Militar já abriu um Insquérito Policial Militar (IPM) para investigar o caso. Além disso, há também um inquérito instaurado na Divisão de Homicídios (DH). Dias e Centeno foram presos e já estão no Batalhão Especial Prisional (BEP), em Niterói, na Região Metropolitana do Rio.
MORTE DE MENINA DENTRO DE ESCOLA
Durante o confronto na Fazenda Botafogo, uma menina de 13 anos foi atingida por uma bala perdida. Maria Eduarda Alves da Conceição fazia uma aula de educação física quando foi ferida e não resistiu. Não se sabe se o disparo que matou Maria Eduarda partiu de um PM ou de um dos criminosos — a família responsabiliza os policiais pelo disparo. De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Militar, agentes do 9º BPM (Rocha Miranda) e do 41º BPM (Irajá) estavam no local.

Mulher é morta a golpes de facão em Cachoeiro; marido é suspeito do crime

Uma mulher de 56 anos foi morta a golpes de facão, na tarde desta sexta-feira (31) no bairro Boa Vista, em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado. Um vizinho chegou a acionar a Polícia Militar, mas Maria da Penha Pereira de Almeida Silva já havia sido morta.
De acordo com as primeiras informações da Polícia Militar, o crime aconteceu na Rua Manoel Pereira Martins, por volta das 15h40. Os militares foram acionados por um morador da rua, que ouviu a mulher pedindo por socorro durante uma briga.
Quando a polícia chegou ao local, Maria da Penha estava morta. O suspeito de cometer o crime, o companheiro, foi visto fechando o portão e saindo de casa. O facão foi deixado na casa.
Publicidade
A perícia do Serviço Médico Legal foi acionada. A polícia fez rondas na região, mas até o momento, ninguém foi detido.