WEB RÁDIO TROPICAL

WEB RÁDIO TROPICAL
24 HORAS NO AR ( A EMOÇÃO DO VERÃO)

OUÇA EM SEU SMART-FONE

SISTEMA ANDROID: CLICK SISTEMA I-PHONE> CLICK! SISTEMA ITUNES: CLICK SISTEMA BLACKBERRY> CLICK

WEB RADIO TROPICAL

24 HORAS NO AR - SEU VERÃO É MAIS GOSTOSO AQUI!
Carregando ...
COBERTURA TOTAL DO VERÃO 2017 DE SÃO FRANCISCO & REGIÃO! -

terça-feira, 31 de março de 2015

Sindicato anuncia paralisação na rede estadual de ensino do RJ


Ato tem como objetivo evitar que a crise econômica afete educação.
Segundo Sepe, alunos sofrem com cortes desde o ano passado.

Do G1 Rio
Os profissionais das escolas estaduais do Rio de Janeiro vão fazer uma paralisação de 24 horas nesta quarta-feira (1º). De acordo com Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe), o objetivo do ato é que a educação não deve pagar pela crise econômica.
Segundo o sindicato, alunos e profissionais da área de educação sofrem com cortes causados pela crise econômica desde o ano passado.

"Desde o fim de 2014, o Sepe vem acompanhando denúncias de várias escolas da rede estadual sobre o corte generalizado nos repasses das verbas para compra de alimentos para a merenda escolar e de manutenção para a compra de materiais de consumo básicos, como papel, produtos de higiene e limpeza", afirmou a entidade de classe. 
A Secretaria Estadual de Educação informou, através de nota, que não foi comunicada oficialmente pelo Sepe sobre a paralisação nesta quarta-feira e que os repasses de merenda e verbas de manutenção estão sendo feitos normalmente.
Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o VC no G1.

Dupla é capturada após fazer arrastão em trem na Zona Norte do Rio


Pelo menos dez pessoas foram roubadas pela dupla.
Suspeito foi preso e um menor apreendido tentando embarcar em ônibus.

Do G1 Rio
Depois do metrô, o trem. Uma dupla foi presa na noite desta terça-feira (30) depois de fazer um arrastão em uma composição da SuperVia. Pelo menos dez pessoas foram roubadas. Passageiros da Supervia contam que a dupla de assaltantes embarcou na estação Madureira, na Zona Norte do Rio, e, poucos minutos depois, anunciou o assalto, como mostrou o Bom Dia Rio.
Foi pouco depois das oito da noite, no ramal de Santa Cruz. O vagão tinha mais ou menos trinta passageiros e seguia no sentido Central do Brasil. A ação toda durou dez minutos. Quando o trem chegou na estação Maracanã, os criminosos mandaram todo mundo levantar e fugiram.
Sem que eles percebessem um passageiro saiu também e avisou um agente da Supervia, que chamou a polícia.
Um patrulha que passava pela Radial Oeste viu os dois suspeitos embarcando em um ônibus.
Os policiais pararam o ônibus. Os bandidos tentaram despistar os PMs, escondendo as mochilas cheias embaixo de um banco. Rafael Patrick, de 19 anos, foi preso em flagrante.
O comparsa dele, de 16 anos, foi apreendido.
Segundo a polícia, a dupla estava com este revólver calibre 38. Dentro da mochila deles, os PMs encontraram dez celulares, documentos e R$ 500. Um passageiro diz que ficou impressionado com a forma agressiva e a pouca idade dos ladrões.
Neste mês, passageiros do metrô também passaram por maus momentos. Foram dois assaltos, o primeiro dia 13, na Linha 1, entre as estações Largo do Machado e Flamengo, na Zona Sul, quando quatro criminosos roubaram pelo menos dezesseis pessoas.
O segundo assalto foi semana passada, entre as estações Glória e Catete, também na Zona Sul. Sete pessoas foram à delegacia registrar ocorrência. A Polícia Civil divulgou foto dos cinco suspeitos desse assalto. Os arrastões levaram o metrô a anunciar reforço na segurança e a instalação de câmeras de vigilância nos vagões antigos e nos acessos das estações.

Sobrevivente do Sumaré diz que corpo de menor foi jogado sobre ele


'Ele chamava por mim', afirmou o jovem sobre o jovem morto. 
Policiais respondem por sequestro e cárcere na Justiça Militar 

Henrique CoelhoDo G1 Rio
Mateus de Jesus Lima dos Santos, o jovem que se fingiu de morto para escapar de policiais militares que mataram outro adolescente, Mateus Alves dos Santos, disse nesta terça-feira (31), em depoimento na Auditoria de Justiça Militar, que o corpo do rapaz, que conhecia de vista, foi jogado em cima dele e ele teve que o empurrar para poder escapar.
Em 11 de junho de 2014, segundo investigações da polícia, os cabos da PM Fábio Magalhães Ferreira e Vinícius Lima Vieira perseguiram os dois menores, que estariam praticando furtos no Centro do Rio. Eles foram colocados no veículo e os policiais seguiram para o Morro do Sumaré. Ainda de acordo com as investigações da polícia, Mateus de Jesus Lima dos Santos levou um tiro nas costas e outro na perna e caiu se fingindo de morto. Mateus Alves dos Santos foi tirado de dentro do carro, levado para uma ribanceira e supostamente executado.
O adolescente que sobreviveu é interno em uma unidade socioeducativa e passou toda a audiência algemado, afirmou que, já se fingindo de morto, ouviu Mateus chamar por ele.
"Ele gritava: 'Ceguinho, Ceguinho', e logo depois os policiais deram muito tiro nele", contou.
A Auditoria de Justiça Militar julga os dois policiais pelo crime de sequestro e cárcere privado, pelo qual ambos foram denunciados no Ministério Público Militar.
Mateus contou que foi abordado por policiais no dia 11 de junho de 2014 na Central do Brasil e colocado na caçamba de um carro da PM juntamente com um adolescente, que depois viria a ser liberado pelos policiais. Ao chegar no Sumaré, ele disse que os policiais deram dois tiros para o alto e depois mandaram-no sair. Um deles, cujo nome Mateus não se lembra, o levou para um barranco, chutando-o.
"Ali ele já falou que ia me matar, e eu comecei a chorar. Me deu o primeiro tiro no joelho, e depois que me derrubou, me deu um tiro nas costas", relatou.
Depois que os policiais foram embora, ele diz que andou até uma auto-escola, onde teve a ajuda negada. Ao andar mais, chegou ao Morro do Turano, onde foi ajudado por uma enfermeira. Ele negou estar cometendo crimes na Central do Brasil no dia do fato.
A familia de Mateus Alves dos Santos, que morreu, esteve na audiência.
"Não vamos descansar", afirmou a tia de Mateus, Sueli.
"Eles têm de pagar", disse o pai, Tyago Santos.
O promotor do Ministério Público Militar Bruno Guimarães disse que o depoimento foi ótimo.
"Ele deu detalhes da ação dos policiais, dos tiros que recebeu. Foi excelente", afirmou.
Testemunhas de acusação
Três guardas municipais que auxiliaram na captura dos menores afirmaram que já havia outro menor no carro da PM quando levaram dois dos jovens acusados de roubo na Avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio.
Algumas horas depois, segundo a denúncia do Ministério Público Militar, os policiais mataram Mateus Alves dos Santos e atiram em Mateus Jesus Lima dos Santos, que sobreviveu. O outro jovem foi liberado, mas depois sofreu ameaças dos PMs envolvidos.
Segundo Anderson Carlos Pereira Dias, guarda municipal, ele e mais outros dois colegas, Jaime de Oliveira e Ericson Jorge Mesquita da Silva viram que o policial Vinicius Lima Vieira estava tentando imobilizar um menor que, segundo o PM, havia acabado de cometer um roubo.
"Demos o apoio ao policial. Eu emprestei minha algema para que ele controlasse o menor. Ele disse que outro jovem havia participado da ação, e nós o levamos até lá", afirmou.
Jaime Oliveira, outro guarda municipal, disse que quando foram levar o jovem, que viria a ser liberado pelos policiais, para o carro de polícia, já havia outro garoto no veículo.
"Eles colocaram os dois adolescentes na caçamba", afirmou ele.
Outros três PMs haviam sido convocados, mas foram dispensados por desconhecimento do fato.

Prefeito de Itaguaí, RJ, é afastado após denúncias de corrupção


Informação foi confirmada pelo Tribunal Regional Federal.
Luciano Mota ainda pode recorrer da decisão.

Do G1 Rio
O prefeito de Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio, Luciano Mota (PSDB), foi afastado nesta terça-feira (31) do cargo. A decisão é do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2). Luciano Mota é investigado pela Polícia Federal por desvio de dinheiro público. O desembargador Paulo do Espírito Santo também determinou a busca e apreensão de um helicóptero, e de três carros de luxo. Procurado pelo G1, o prefeito não foi encontrado até a última atualização desta reportagem. Ele ainda pode recorrer da decisão.

Na mesma medida, o desembargador ordenou também o afastamento de suas funções de três secretários municipais e de dois policiais militares. Os veículos que são do prefeito e foram apreendidos são: um Porsche Panamera modelo 2012, um Mercedes Benz AMG, modelo 2011, e um BMW X-6, modelo 2014. Ele também teria usado dinheiro público para comprar uma Ferrari, avaliada em R$ 1,7 milhão, que supostamente estaria em nome de um laranja.

Até ser eleito prefeito de Itaguaí, em 2012, Luciano Mota não tinha currículo na política. Segundo a Polícia Federal, a quadrilha supostamente chefiada pelo prefeito desviava verbas dos royalties do petróleo e do sistema único de saúde.
As investigações apontam que ele tirava dos cofres da cidade entre R$ 10 e R$ 30 milhões por mês.

Luciano Mota também é suspeito de chefiar uma quadrilha que desviava que desviava verbas dos royalties do petróleo e do Sistema Único de Saúde (SUS).

A Polícia Federal e o Tribunal de Contas do Estado (TCE) fecharam uma parceria inédita para investigar as denúncias de corrupção na prefeitura de Itaguaí.
Itaguaí (Foto: Rede Globo)Ferrari avaliada em R$ 1,7 milhão foi apreendida (Foto: Rede Globo)
Passaportes apreendidos
A Polícia Federal cumpriu mandados judiciais deferidos pelo TRF2 determinando a entrega dos passaportes e a proibição de se ausentar do estado sem autorização em face de secretários e empresários de Itaguaí, além da apreensão de veículos importados pertencentes ao prefeito daquele município. Trata-se da terceira fase da Operação Gafanhotos.

A Justiça também determinou a suspensão da função pública e da atividade econômica dos investigados, inclusive com o afastamento do prefeito de Itaguaí. Dois PMs que realizavam a segurança pessoal do mandatário também foram afastados de suas funções policiais.

PM começa a ocupar lugar de Exército e Marinha na Maré à 0h desta quarta


Transição foi decidida entre Ministério da Defesa e Seseg em janeiro.
Troca de forças será feita em três etapas, até 30 de junho.

Do G1 Rio
Homens do Exército ocupam as entradas de comunidades do conjunto de favelas da Maré. Em um dos acessos à Vila do João os militares revistam motoristas neste domingo. (Foto: Janaína Carvalho/ G1)Tanque do Exército em patrulha na Maré
(Foto: Janaína Carvalho/ G1)
Os cerca de 3,3 mil homens da Marinha e do Exército começam nesta quarta-feira (1º) a dar lugar à Polícia Militar do Rio na ocupação do Conjunto de Favelas da Maré, na Zona Norte do Rio. O processo de transição será feito em três etapas. As comunidades da Praia de Ramos e Roquette Pinto serão as primeiras.
O cinturão de segurança nos acessos às favelas começa às 20h desta terça (31). A estratégia é parte do planejamento da Secretaria de Estado de Segurança Pública para pacificar o território formado por 16 comunidades. O procedimento foi estabelecido conforme protocolo de cooperação assinado no dia 7 de janeiro deste ano, entre o Governo Federal, Ministério da Defesa e o Governo do Estado.
Já a partir das 20h desta terça-feira (31/3), a Polícia Militar dará início a um cinturão de segurança nos acessos às comunidades da Praia de Ramos e Roquette Pinto. A partir da meia-noite, equipes do Batalhão de Choque passam a patrulhar a região. Às 6h, efetivos do Grupamento Tático de Motociclistas (Getem) começam as ações em ambas as comunidades.
De acordo com o Chefe de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa, almirante Ademir Sobrinho, o atual efetivo empregado na Operação São Francisco, como foi chamada a ocupação da Força de Pacificação, será reduzido em um quarto até o final de abril.
Outras etapas
A partir de 1º de maio, as comunidades de Parque União, Parque Rubens Vaz, Nova Holanda e Parque Maré serão desocupadas pela Força de Pacificação. As demais localidades serão devolvidas ao controle das autoridades fluminenses até o dia 30 de junho, data oficial de encerramento da operação (veja infográfico abaixo).
Transição da ocupação da Maré será em três etapas (Foto: Matusael Jorge / Ministério da Defesa / Divulgação)Transição da ocupação da Maré será em três etapas (Foto: Matusael Jorge / Ministério da Defesa / Divulgação)
Balanço
Até o último dia 29 de março, a Operação São Francisco contabilizou mais de 65 mil ações realizadas. Os 16,7 mil militares que atuaram na Garantia de Lei e Ordem (GLO) efetuaram 467 prisões por crime comum e outras 116 por crime militar. Foram recolhidos 228 menores.
Entre as apreensões, foram 521 de drogas, 54 de armas, 119 de munições (3692 cartuchos), 56 veículos e 87 motocicletas. Mais de 2,2 mil denúncias foram feitas pela população ao Disque Pacificação.
Avaliação
Segundo nota enviada pelo Ministério da Defesa, o almirante Ademir Sobrinho avalia que a Força de Pacificação desempenhou missão com "bravura e correção", mas considera que o trabalho foi mais complexo e árduo que em outras GLO comandadas pelo Ministério da Defesa, como a ocupação do Alemão, em 2010.
Segundo o almirante, a topografia plana, a grande concentração populacional e a escassa presença de representantes do Judiciário estadual – para a expedição, por exemplo, de mandados de busca e apreensão - dificultaram o andamento das ações.
O Conjunto de Favelas da Maré tem área de 7 km², às margens da Baía da Guanabara, e abriga cerca de 140 mil habitantes. O complexo é formado pelas favelas: Praia de Ramos, Parque Roquete Pinto, Parque União, Parque Rubens Vaz, Nova Holanda, Parque Maré, Conjunto Nova Maré, Baixa do Sapateiro, Morro do Timbau, Bento Ribeiro Dantas, Vila dos Pinheiros, Conjunto Pinheiros, Conjunto Novo Pinheiro – Salsa & Merengue, Vila do João e Conjunto Esperança.
O Conjunto de Favelas da Maré, na Zona Norte do Rio em fotografia aérea feita nesta sexta (28). O complexo será ocupado neste domingo (30) numa ação conjunta das tropas federais com a polícia (Foto: Ricardo Moraes/Reuters)Vista aéra do Conjunto de Favelas da Maré (Foto: Ricardo Moraes/Reuters)

Desde sábado, 7 PMs são baleados em comunidades pacificadas no Rio


Na Rocinha 3 foram feridos; 2 na Fazendinha; e 2 na Mangueira.
Imagens mostram mais uma manhã de intenso tiroteio na Rocinha.

Do G1 Rio
Desde sábado (28), sete policiais militares se feriram em confrontos com criminosos em comunidades com Unidades de Polícia Pacificadora. Somente na Rocinha, na Zona Sul, foram três policiais feridos, um deles nesta terça-feira (31), numa operação que aconteceu sob forte tiroteio.
Também nesta terça, um PM da UPP Fazendinha foi baleado no conjunto de favelas do Alemão, na Zona Norte. Na segunda (30), outro policial da mesma UPP foi baleado ao sair do trabalho. No domingo (29), na Mangueira, tambpem na Zona Norte, dois policiais foram baleados.

O vídeo do RJTV mostra mais uma manhã de violência na Rocinha. Pela internet, moradores desabafaram:
"Despertador para que? Eu moro na Rocinha. Aqui é ao som de tiro", escreveu um morador.
“Tiroteio na Rocinha e quem sai perdendo são os moradores, não tendo como ir trabalhar, estudar e sem médicos de plantão na UPA”, reclamou outro internauta.
A operação comandada pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar nesta terça na Rocinha, após um final de semana de confronto na comunidade, deixou mil alunos de uma escola municipal sem aula até 9h30. A secretaria municipal de Educação informou que o conteúdo perdido será reposto. A secretaria estadual, por sua vez, informou que as aulas de suas unidades não foram interrompidas.
Durante a operação, Genilzo Maurício dos Santos, de 36 anos, foi preso com um radiotransmissor. Ele havia saído da cadeia há três dias. Na madrugada do domingo (29), mais uma troca de tiros foi registrada na Rocinha, comunidade na Zona Sul do Rio de Janeiro, deixando um suspeito e um PM do Bope feridos.
Relatos publicados em redes sociais dão conta ainda de que dois homens teriam sido baleados, e um deles seria policial. E no sábado, PMs ficaram emcurralados num beco, como mosntra as imagens do RJTV.
Troca de tiros na Rocinha na madrugada deste domingo (29). (Foto: Arquivo pessoal/Morador da Rocinha)PM na Rocinha na madrugada de domingo (29).
(Foto: Arquivo pessoal/Morador da Rocinha)
Em nota, a PM informou que o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) realizou operação na comunidade da Rocinha na madrugada de domingo (29). Houve confronto e um homem foi baleado e encaminhado para o Hospital Miguel Couto, na Gávea.
Ainda segundo a polícia, um policial também ficou ferido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. O estado de saúde dele é estável. A ocorrência foi registrada na 14ª DP (Leblon).

A Rocinha é uma das 13 comunidades com UPP e, segundo a Secretaria de Segurança, tem risco alto e foi classificada como nível vermelho. Outras favelas, consideradas menos perigosas, foram incluídas nos níveis amarelo e verde.
A Secretaria de Segurança Pública admitiu que o programa de pacificação precisa passar por mudanças. “Precisamos equipar essas UPPs com estrutura definitivas, capacitar policiais. Em qualquer
programa na vida da gente, ajustes têm que ser feitos.  E continuaremos fazendo, mas isso não é garantia que nada mais vai acontecer no Rio. A segurança pública é um paciente em estado febril. Difícil de se vencer”, declarou o secretário José Mariano Beltrame.

Suspeito de estelionato em vários estados é preso em Guarapari, ES


Homem dizia ser piloto de avião, empresário de jogador de futebol e coiote.
Detenção foi realizada em parceria com a Polícia Civil de Minas Gerais.

Do G1 ES
Um homem de 54 anos, suspeito de praticar crimes de estelionato em diversos estados brasileiros, foi preso em Guarapari, na Grande Vitória, no último sábado (28). A detenção ocorreu durante a operação 'Ícaro', realizada por policiais civis da Delegacia de Infrações Penais e Outros (Dipo) do município juntamente com a Polícia Civil de Minas Gerais. A abordagem ocorreu na própria casa do suspeito, onde foram apreendidos três carros, 26 relógios avaliados em R$ 3 mil cada, roupas de piloto de avião e documentos falsos.
De acordo com o titular da Dipo, delegado Franco Quedevez Malini, o homem é suspeito de aplicar vários golpes se passando por diversos tipos de profissionais. “Ele fingia ser piloto de avião, empresário de jogador de futebol e, também, coiote - recebendo dinheiro para ajudar pessoas a entrar ilegalmente nos Estados Unidos”, contou o delegado.

Segundo o delegado, o suspeito já aplicou golpes em Goiás, Rio de JaneiroParaná e Belo Horizonte, em Minas Gerais. Ele estava sendo investigado há um ano e meio. “O suspeito dizia que podia adiantar o processo do curso de admissão de pilotagem, convencendo as vítimas a pagarem pela facilidade e sumia após o receber o dinheiro”, explicou.

O responsável pela prisão contou que a Justiça de Minas Gerais já havia expedido o mandado de busca e apreensão contra o criminoso, mas ele havia fugido para o município de Guarapari há quatro meses. “Por meio da investigação conseguimos o endereço da residência dele, montamos uma campana em frente ao local e quando ele saiu efetuamos a prisão”, informou Franco. O homem foi encaminhado para a 5ª Delegacia Regional de Guarapari, onde prestou depoimento. Após a autorização judicial foi recambiado para Minas Gerais, onde permanece à disposição da Justiça.

Homem é detido em ônibus com droga grudada ao corpo, no ES


Cães farejadores ajudaram a descobrir a droga escondida.
Material estava colado na barriga e perna do suspeito, com a ajuda de fitas.

Do G1 ES
Droga estava grudada com a ajuda de fitas adesivas (Foto: Divulgação/ PRF)Droga estava grudada com a ajuda de fitas adesivas
(Foto: Divulgação/ PRF)
Uma operação realizada na manhã desta terça-feira (31) resultou na prisão de um homem de 20 anos que estava com 2,5 kg de haxixe presos ao corpo com fita adesiva. A detenção ocorreu dentro de um ônibus em Guarapari com a ajuda de cães farejadores. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) , o suspeito viajava sozinho e teria saído de Foz do Iguaçu, descido em São Paulo e pegando ônibus com destino a Vitória. A parada final iria ocorrer em Guarapari.
Ainda segundo a PRF, a abordagem feita pelos agentes e por policiais civis ocorreu no km 345 da BR-101. Ao ser questionado, o rapaz teria dito que iria se hospedar na casa de um tio, mas não soube responder qual o nome do familiar. Quando os policiais solicitaram que ele levantasse a camisa, foram identificados os entorpecentes presos ao seu corpo através de fitas. Também havia entorpecentes presos nas pernas do homem.
A PRF ainda informou que o suspeito confessou que iria entregar a droga para um desconhecido na rodoviária de Guarapari, e que iria receber R$ 2 mil pela entrega. O peso foi de aproximadamente 2,5 kg, incluindo o entorpecente, embalagens plásticas e as fitas adesivas. O homem foi encaminhado para a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória.